Bolsonaro surpreende e minimiza risco da pandemia no Brasil

2 anos ago
521
Pronunciamento presidencial 24/03/2020

Contrariando tudo o que especialistas e autoridades sanitárias do país e do mundo inteiro vêm pregando como forma de evitar que o novo coronavírus se espalhe, o presidente Jair Bolsonaro criticou, em pronunciamento na noite desta terça-feira (24) em rede nacional de televisão, o pedido para que todas aqueles que possam fiquem em casa.

Bolsonaro culpou os meios de comunicação por espalharem, segundo ele, uma sensação de “pavor”. E disse que, se contrair o vírus, não pegará mais do que uma “gripezinha”.

Consultado, o Ministério da Saúde informou que não vai se posicionar sobre o pronunciamento do presidente.

“O vírus chegou, está sendo enfrentado por nós e brevemente passará. Nossa vida tem que continuar. Os empregos devem ser mantidos. O sustento das famílias deve ser preservado. Devemos sim voltar à normalidade. Algumas poucas autoridades estaduais e municipais devem abandonar o conceito de terra arrasada, a proibição de transportes, o fechamento de comércios e o confinamento em massa. O que se passa no mundo tem mostrado que o grupo de risco é o das pessoas acima dos 60 anos. Por que fechar escolas?”, declarou.

Segundo o presidente, “raros são os casos fatais de pessoas sãs com menos de 40 anos de idade. 90% de nós não teremos qualquer manifestação caso se contamine. Devemos sim é ter extrema preocupação em não transmitir o vírus para os outros, em especial aos nosso queridos pais e avós, respeitando as orientações do Ministério da Saúde”.

“No meu caso particular, pelo meu histórico de atleta, caso fosse contaminado com o vírus, não precisaria me preocupar. Nada sentiria ou seria, quando muito, acometido de uma gripezinha ou resfriadinho, como disse aquele famoso médico daquela famosa televisão. Enquanto estou falando, o mundo busca um tratamento para a doença.”

No pronunciamento, Bolsonaro disse que os meios de comunicação espalharam “pavor” e provocaram “histeria” no país.

“Grande parte dos meios de comunicação foram na contramão. Espalharam exatamente a sensação de pavor, tendo como carro chefe o anúncio do grande número de vítimas na Itália. Um país com grande numero de idosos e com o clima totalmente diferente do nosso. O cenário perfeito, potencializado pela mídia, para que uma verdadeira histeria se espalhasse pelo nosso país”, afirmou.

De acordo com o presidente, “percebe-se que, de ontem para hoje, parte da imprensa mudou seu editorial, pedem calma e tranquilidade. Isso é muito bom. Parabéns, imprensa brasileira. É essencial que o bom senso e o equilíbrio prevaleçam entre nós”.

Fonte: G1

Alcolumbre: fala é ‘grave’

Logo após o pronunciamento, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e seu vice, Antonio Anastasia (PSD-MG), publicaram nota em que classificaram o pronunciamento do presidente como “grave” e disseram que “o país precisa de uma liderança séria” neste momento.

“Neste momento grave, o País precisa de uma liderança séria, responsável e comprometida com a vida e a saúde da sua população. Consideramos grave a posição externada pelo presidente da República hoje, em cadeia nacional, de ataque às medidas de contenção ao Covid-19. Posição que está na contramão das ações adotadas em outros países e sugeridas pela própria Organização Mundial da Saúde (OMS)”, afirmaram.

“A posição [externada pelo presidente] está na contramão das ações adotadas em outros países e sugeridas pela própria Organização Mundial da Saúde (OMS). Reafirmamos e insistimos: não é momento de ataque à imprensa e a outros gestores públicos”.

Deputados, senadores e juristas que até a tarde desta terça (24) trabalhavam para ampliar o poder do governo de destinar recursos para o combate ao novo coronavírus agora revisam os planos. 

Em vez de um cheque em branco, como previsto, o Parlamento quer, no mínimo, abalizar um a um os repasses extraordinários de verbas para a saúde. 

A fala do presidente foi classificada como “irresponsável” por dirigentes de partidos. As principais economias do mundo têm seguido a orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS) e implementado regras para garantir que as pessoas fiquem em casa durante a epidemia.

Parlamentares também dizem que Bolsonaro tenta emular Donald Trump ao pregar a reativação da economia, mas lembram que o Brasil ainda não alcançou os EUA na curva de transmissão da doença.

Fonte: CNN Brasil

1 thought on “Bolsonaro surpreende e minimiza risco da pandemia no Brasil

  1. It¦s really a cool and helpful piece of information. I¦m satisfied that you shared this useful info with us. Please keep us up to date like this. Thank you for sharing.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *